Gratificação especial do Banco Santander: Conheça este benefício

gratificacao especial santander

Você ouviu falar na gratificação especial do Banco Santander?

Se você é trabalha no Banco Santander, então provavelmente já ouviu algo a respeito da gratificação especial.

Mas, antes de entendermos melhor o que é essa gratificação, vejamos o que é um bancário.

Um bancário é um profissional que trabalha em bancos, ou em empresas de empréstimos, financiamentos, investimentos e consórcio.

Sabendo disso, se você pertence a essa categoria, e trabalha no Banco Santander, precisa conhecer a famosa gratificação especial.

Essa gratificação tem sido muito discutida, e chegou a gerar uma série de ações judiciais em desfavor do banco.

Aproveite para conhecer sobre a gratificação especial do Banco Santander. Veremos ainda como funciona essa gratificação e quem poderá obtê-la. 

O que é a gratificação especial?

A gratificação especial do Banco Santander é uma bonificação que esse banco concede a bancários que tiveram o contrato rescindido.

A chamada rescisão contratual é uma formalização feita quando o vínculo empregatício chega ao fim.

Ou seja, é quando a relação entre um funcionário e determinada empresa é encerrada. Resumindo: quando o indivíduo é desligado da empresa.

Assim, quando são desligados, o Banco Santander pagava uma gratificação especial a esse funcionário.

Esse tipo de benefício não é obrigatório, haja vista que é um bônus.

Há muitos tipos de gratificação salarial e, a empresa tem autonomia para decidir como deseja pagá-la.

Em alguns casos, a empresa decide pagar a gratificação mensalmente, anualmente, ou, no caso do Banco Santander, quando o contrato do funcionário é rescindido.

Outra pergunta que surge com frequência é: a empresa é obrigada a pagar a gratificação?

Para isso, temos duas respostas. O antes e o depois da Reforma Trabalhista.

Até a Reforma Trabalhista, em 2010, um funcionário que recebesse gratificação por período superior a 10 anos, obtinha o direito adquirido de ter o benefício permanente.

Contudo, após a Reforma Trabalhista, isso mudou.

Agora, a gratificação pode ser revogada no momento em que a empresa desejar.

Quais os requisitos para obter a gratificação especial?

Para que um bancário do Banco Santander tenha direito a gratificação especial, é preciso que atenda dois requisitos fundamentais:

  • Ter sido demitido;
  • Ter trabalhado, no mínimo, 10 anos no banco.

O primeiro requisito não pode ser confundido com aquilo que ocorre quando o próprio funcionário solicita o desligamento da empresa.

O famoso “pedir as contas” é uma iniciativa do empregado.

Por outro lado, quando o funcionário é demitido, significa que a iniciativa partiu da empresa, ou seja, do Banco Santander.

A gratificação especial só pode ser concedida quando o funcionário foi demitido pela empresa. Ainda, a demissão precisa ocorrer sem justa causa.

Quando um funcionário é desligado por justa causa, isso retira a obrigatoriedade da empresa pagar uma série de benefícios.

Temos ainda o segundo requisito. Ter trabalhado por, pelo menos, 10 anos naquela empresa.

Isso significa que o funcionário precisa ter um bom tempo atuando na “casa”. Somente assim preenche o requisito necessário à gratificação.

Como funciona a gratificação especial?

Como vimos, a gratificação especial não é uma obrigatoriedade da empresa.

Entretanto, conforme veremos mais abaixo, a partir do momento que a empresa decide pagá-la, não pode fazer distinção entre os funcionários.

Isso significa que, desde que atendam aos requisitos estabelecidos, todos e todas terão o direito de receber a gratificação especial do Banco Santander.

Considerando que se trata de uma bonificação, a empresa tem liberdade para decidir como será realizado o cálculo.

Ainda, não há um valor máximo ou mínimo. Tudo isso fica a critério da empresa.

Mas, lembrando sempre: uma vez determinado um critério e uma fórmula para calcular o valor, deve ser aplicado a todos os funcionários.

Além disso, a única obrigação da empresa é fazer a discriminação dessa gratificação na folha de pagamento dos funcionários.

Entenda como a gratificação especial do Banco Santander é calculada

O cálculo da gratificação paga pelo Banco Santander utiliza uma fórmula bem simples. É a seguinte:

(20% + maior remuneração) x tempo de serviço

Só precisamos pegar a maior remuneração de um funcionário e acrescentar 20%. Posteriormente, a partir do valor obtido, multiplicá-lo pelo tempo de serviço do bancário.

Para ilustrar melhor essa questão, vamos utilizar um exemplo.

Suponhamos que a Flávia era bancária do Banco Santander. Ela trabalhou por 15 anos no banco, e, seu maior salário era no valor de R$ 10 mil.

Quanto ela irá receber de gratificação especial?

  • Vamos pegar o salário da Flávia e acrescentar 20%. Ou seja, 10 mil + 20% = R$ 12 mil;
  • Em seguida, multiplicamos o valor que obtivemos pelo tempo de serviço da Flávia;
  • Assim, R$ 12.000 x 15 = R$ 180.000.

Muitos trabalhadores foram demitidos e, apesar de cumprirem os requisitos para receber a gratificação especial, não tiveram nenhum crédito, o que configura infração por parte do banco.

Pagamento de gratificação a alguns trabalhadores: veja o que aconteceu

A Justiça do Trabalho de Guarulhos – São Paulo, condenou o Banco Santander ao pagamento da gratificação especial a uma bancária.

O que aconteceu?

Por que temos tanta movimentação com relação a essa gratificação?

Bom, vamos entender por partes. O caso que aconteceu com essa bancária não foi um evento isolado.

Em verdade, nos últimos anos, foram ajuizadas diversas ações trabalhistas contra o Banco Santander.

A reclamação é a mesma em todos esses casos: o Banco estaria selecionando quais funcionários receberiam a gratificação.

Desse modo, aconteceu de, mesmo que o bancário atendesse aos requisitos exigidos pelo banco, não recebeu a gratificação.

Lembra do que falamos anteriormente?

Embora a gratificação especial do Banco Santander não seja uma obrigação, quando ele decide oferecer esse benefício aos funcionários, não pode fazer distinção entre eles.

Assim, se o funcionário X e o Y atendem aos requisitos, ambos podem e devem receber a gratificação.

O pagamento para apenas alguns funcionários fere, diretamente, o princípio da isonomia, previsto na Constituição Federal.

Esse princípio assegura que as pessoas, inclusive em uma relação de trabalho, sejam tratadas de forma igualitária, sem distinção de quaisquer espécies.

Embora a empresa esteja no âmbito do particular e, tenha certa autonomia para regulamentar sua atuação, ainda está sujeita a legislação superior. Ou seja, à Constituição Federal.

Neste artigo, conhecemos um pouco melhor a gratificação especial do Banco Santander.

Para receber essa gratificação, há dois requisitos importantes que devem ser observados:

  • Ter sido demitido sem justa causa;
  • Ter trabalhado, no mínimo, 10 anos no banco.

Preenchidos os requisitos, o cálculo dessa gratificação é feito considerando o valor do salário do funcionário, bem como o tempo de serviço do mesmo.

O banco tem autonomia para deixar de conceder a gratificação quando desejar.

Mas, pelo tempo em que estiver vigente, precisa tratar de forma isonômica a todos os funcionários.

Se você foi alvo dessa injustiça, procure imediatamente um advogado trabalhista bancário e corra atrás de seus direitos. É um direito do bancário.

Caso queira entender melhor como escolher um bom advogado, clique aqui e veja nosso artigo sobre esse tema.

Gostou de conhecer a gratificação especial do Banco Santander? Se você tem alguma dúvida sobre como funciona, entre em contato com os nossos advogados especialistas em direito trabalhista bancário.

Você precisa de uma solução jurídica especializada?

Conte conosco para buscar uma solução ágil, transparente e segura para o seu problema. Com isso, você poderá focar no que realmente importa.

LGalvão Advogados © 2022. Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido por Cloue.

Agência Cloue © 2022. Todos os direitos Reservados.